quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A caravana...

A caravana segue, os mortos ficam para trás
As lágrimas são passageiras e, pelos mortos, nada mais
A vida segue em frente, não dá para viver do que se foi
Às vezes voltam lembranças, mas melhor deixar para depois
Quem sobrevive prossegue na luta do dia-a-dia
A tristeza é anulada por novas alegrias
A caravana segue deixando quem não pode ir
Fazendo seu caminho. Para sempre tem que seguir
A vida continua, eu sei, não pode parar
Seguindo seu caminho, para trás nem precisa olhar
A caravana segue, os mortos ficam para trás
Alguns morrem pela guerra para se alcançar a paz
A caravana segue deixando quem não quer ir
A vida não é só união, às vezes tem que se dividir.

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Furacão...

Despreocupado, este era eu
Desavisado, sem esperar
Até que um vento vindo do Norte,
Um furacão, me lançou ao ar

Primeiro o susto, depois prazer
E o desejo de voar
Tomou-me o imo, dominou-me
Não pude me segurar

Soltei-me, me deixei levar
Sem medo, rumo ao desconhecido
E então alcei vôo bem alto

Dizem que o amor dá asas
Debaixo de mim só havia asfalto
Furacão se foi sem fazer-me planar

Como é?

Como é? Como vai ser?
Vamos viver ou nos deixar levar?
Vamos vencer, vamos beber, vamos zoar.
Vamos viver, correr, subir, descer, amar.
Chega de jogar fora o tempo que não voltará
Onde iremos pegar tudo o que agora se vai?
Onde iremos pagar por tudo o que a gente faz?

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Como sou feliz por ser capitalista...

Como sou feliz por ser capitalista
Trabalho como louco e ganho meu salário
Assisto à rede globo e sonho em ser artista
Mas pro Doutor sou apenas outro otário
Pego meu dinheiro no começo do mês
E pago as prestações dos vários aparelhos
É DVD, MP3, não sei mais que de não sei quem
Que não me servem para nada e eu nem mesmo queria
O vendedor falou que é bom, a personagem da novela aprovou
Então comprei para o meu filho um pouco de alegria
Faço hora extra e enriqueço o meu patrão
Nunca descanso, mas cumpro a obrigação que assumi lá nas casas Bahia
E toda essa dedicação (dedicação total à você) me faz feliz
Como sou feliz!!!
Como sou feliz por ser capitalista.
Tenho o que comer, onde dormir, o que vestir e sou petista
Pago meus impostos e que se dane a injustiça
O país vai melhorar, foi o que disse tal grevista
Então tá tudo bem, vou me dar bem, sou otimista
Como sou feliz por ser capitalista!
Como sou feliz por ser mais um escravo
Sou empregado de uma multinacional
Sou um cara de sorte e devo gratidão
Princesa Isabel assinou a abolição
Agora me acorrentaram a uma televisão
Mas ela não me açoita e até que me diverte
Mostrando que a vida pode ser bem melhor
Trabalhando, lutando, me acabando por livre e espontânea vontade
Posso ter uma casa com piscina
Um carrão importado e até um Iate
Enquanto isso, meu chefe, coitado, de cabeça quente
Porque um delinqüente invadiu sua mansão
Seqüestrou sua cadelinha e pediu como resgate um dinheirão
Hoje em dia é complicado, não se pode ter mais nada
Que esse bando de malvados, favelados desgraçados, quer roubar
Isso é que é escravidão
Comigo não, assisto televisão
Sou escravo voluntário, em troca do meu salário faço tudo o que me mandar
Não quero causar ao Doutor uma má impressão
Ele merece, batalhou por tudo o que tem
Um dia chego lá, basta lutar
Não é utopia, sou otimista
Assim falou um "tal grevista"
Por isso sou feliz por ser capitalista!!!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Acorde...

Acorde!
Mostre sonhos para mim, minha doce e linda criança
Escolha o dia, escolha o sinal
E todo dia será digno de ser só nosso.
Você pode ver?
Venha junto a mim para a vasta, serrada, mata
Cortada pelos ventos congelantes
Ouça o balanço das árvores sendo quebrado
Pelo mesmo silêncio que nos aconchega
Nós riremos suavemente como loucas crianças
Sem nos preocuparmos com a guerra
Apenas nos amando
Embalados pela melodia que estará acima de tudo
Escolha também suas intimidades mais secretas
Que serão, para mim, como doces bênçãos
Se me forem permitidas improváveis e impossíveis
Loucuras mais lindas
Estando ao seu lado nada mais me importa
A não ser o momento...