quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Estar apaixonado...

E agora? Outra noite passou.
Mais uma noite que sofri por não vê-la.
Muito frio, chuva incessante.
Todo meu pequeno mundo para ter, outra vez, seu calor.
Por que tão seca e indiferente?
Por que tão bobo e apaixonado?
Será coisa de poeta amar quem não corresponde?
Buscar quem tanto se esconde.
Rasgar o peito, arder, sem retribuição,
Tudo por um pouco mais de lenha
Para a chama do sofrimento.
Combustível, inspiração?
Sentimentos são confusões.
Milhares de sensações que se misturam
Fazendo lembrar que o coração pulsa,
O sangue corre e o ventre se retrai.
Estar apaixonado me confunde.
Estar apaixonado me inspira.
Estar apaixonado maltrata, mas me atrai.
Você faz com que eu me lembre: ESTOU VIVO!
Tão bem me faz.
Estar apaixonado me confunde.
Me inspira, maltrata, mas me atrai.
Sentimentos são confusões
E você, bem poderia ser solução
Lembrando-me de que estou vivo.
Por que tão confusa?
Estar apaixonado me confunde...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Sentindo o Oceano...

Sentindo o Oceano me deixo levar
Acompanho as ondas para qualquer lugar
Meu corpo queimando, em ebulição
Mergulho bem fundo, até quase afogar
Não sou mais o mesmo, nunca mais serei
Depois da amargura que me fez passar
Sentindo o Oceano, sinta meu pesar
Para você foi pouco me pisotear
Sentindo o Oceano, sinta meu aroma
Meu cheiro de morte
É maresia, estado de coma
Sentindo o Oceano sinta minha dor
É areia salgada, é água gelada
É falta de amor.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Tudo acaba onde começou...

...começou do pó nosso pequeno mundo
Partiu de um buraquinho o abismo mais profundo
Aquele meteoro era só uma estrela
Hoje destrói tudo, um dia foi tão bela
Criaram a tal pólvora para fogos de artifício
Mas hoje é utilizada para ativar um míssil
Foi feita com inocência, para nos dar diversão
E hoje, indecência, só traz destruição
O mundo dá suas voltas e volta ao mesmo lugar
O que fizer aqui, aqui mesmo vai pagar
A saga de uma família: Cem anos de solidão
A vida de Frankstein: criado em um porão.
O mundo dá suas voltas, você pisca e ele já voltou
Acabaremos em pó, pois tudo acaba onde...
...começou do pó nosso pequeno mundo
Partiu de um buraquinho o abismo mais profundo
Aquele meteoro era só uma estrela
Hoje destrói tudo, um dia foi tão bela
Criaram a tal pólvora para fogos de artifício
Mas hoje é utilizada para ativar míssil
Foi feita com inocência, para nos dar diversão
E hoje, indecência, nos traz destruição
O mundo dá suas voltas e volta ao mesmo lugar
O que fizer aqui, aqui mesmo vai pagar
A saga de uma família: Cem anos de solidão
A vida de Frankstein: criado em um porão.
O mundo dá suas voltas, você pisca e ele já voltou
Acabaremos em pó, pois tudo acaba onde...